Sandra Durand ganha Festival dos 80 anos da Vaia ao Sol

Eita, que hoje nós botamos foi quente no Sol!

E num foi não, é?!

Manhã deste último domingo de janeiro do ano de 2022, a Praça do Ferreira foi mais uma vez, palco do Festival da Vaia ao Sol; fato este acontecido, de verdade, há exatos 80 anos: dia 30 de janeiro de 1942.

Durante o evento não choveu, porém, havia um certo receio que isso acontecesse, já que, choveu, quinta, sexta, sábado e ainda um pouco nesta manhã de domingo! Mas que nada! Tava lá o bichão todo se exibindo e pronto para ser vaiado! E como foi!

Vinte pessoas se inscreveram e participaram do Festival. A participação de cada um foi rápida, o bastante para se dirigir ao microfone e soltar o berro. Uns, com certeza, nem de microfone precisariam! Pense num povo pra gritar alto! Isso mesmo: gritar; porque a vaia quanto mais gritada, mais percebida é.

Os participantes foram: Herbston Freitas Robrigues, Rafael Aires de Souza, Raimundo Nonato de Oliveira, Sandra Durand, Mauro Torres Uchôa Filho, Pedro Porfírio, Antônio Régio Rodrigues Lima, Marjorie Cristine, Jorge Richie, Silvinho Gurgel, É Hoje, Sérgio Quixadá,   Ramon da Silva, Cornélio Tavares, Amarildo Jucá, João Fábio, João Pedro, Paulo Soares, Gigante Isaac e Raul Monteiro.

Para a Final do Festival foram: Sandra Durand, Pedro Porfírio e Rafael Aires. E quem levou a melhor foi Sandra Durand, que botou a macharada toda no bolso. Ainda teve a participação de outra mulher: Marjorie Cristine. Quem ficou em 2° Lugar foi o garoto Pedro Porfírio. Rafael Aires, ficou em 3°.

O evento foi promovido Pelo Museu do Humor Cearense, Escritório do Riso, Teatro Chico Anysio, Sindicato dos Humoristas e Associação dos Humorista Cearenses. E quem comandou a festa foi o humorista Zebrinha.

Contada as vaias, entre apresentações e manifestações do público foi superada a marca de 80. 80 era a meta. Uma pra cada ano.

O humorista Tom Leite deu uma canja, e cantou uma quadrinha feita especialmente para falar da vaia ao sol.

            Jader Soares, Zebrinha lançou um cordel, falando dos 80 anos da vaia. Iúúúúúúúúúúú!

            I

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *